Tecpar recebe novas tecnologias no Living Lab
26/06/2020 - 16:21

Tecnologias selecionadas para integrar o ecossistema de inovação aberto do Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) já começaram a ser instaladas no câmpus CIC, em Curitiba. Oito projetos de empresas paranaenses foram aprovados na chamada pública do Living Lab, programa de inovação que vai testar ideias de serviços ou produtos tecnológicos.

Nesta semana começaram a ser testados os equipamentos cedidos pela L8 Group, organização curitibana que reúne cinco empresas da área da tecnologia.

De acordo com o diretor-presidente do Tecpar, Jorge Callado, a partir desta segunda etapa do Living Lab, as tecnologias instaladas no câmpus serão monitoradas pelas equipes técnicas, para comprovar sua eficiência ou verificar possíveis falhas.

“O programa Living Lab entra em uma nova fase, momento em que colocamos nosso laboratório a céu aberto para apoiar empresas paranaenses de base tecnológica, fortalecendo assim o ecossistema de inovação do Estado”, afirma Jorge Callado.

COLABORAR - Para Leandro Kuhn, CEO da L8 Group, a participação no programa foi motivada pelo interesse em colaborar com o desenvolvimento tecnológico do Paraná e do Brasil, instalando no espaço de inovação as mais recentes tecnologias do mundo.

“O objetivo dos testes é demonstrar a alta acuracidade e recursos avançados destas tecnologias. Nossa estimativa após a validação do Living Lab é ter as soluções testadas e homologadas para uso no Paraná e poder utilizar o programa como um grande cartão de visitas para todas as esferas do poder público”, diz Kuhn.

POSTE INTELIGENTE – Na entrada principal do campus está instalado o poste inteligente, uma solução de infraestrutura para aplicação em segurança pública. Trata-se de um poste com uma câmera de vigilância acoplada na parte superior. Na parte de baixo, à altura do pedestre, há um botão de emergência, também chamado de botão de pânico. 

O equipamento de segurança conta com duas câmeras, uma com visão de 360° e outra para monitoramento e auxílio na conversa com o centro de controle. Também possui internet wi-fi independente, permitindo, entre outras funcionalidades, o acionamento automático da iluminação local.

“É uma tecnologia que coíbe a ação criminosa próxima ao local em que está instalada. Se uma pessoa está passando por uma situação de risco, como um assalto, basta apertar o botão do pânico para se comunicar com uma central de segurança privada ou integrada à polícia local”, explica o CEO da L8 Group. 

Enquanto a ação está sendo filmada, o interlocutor pode se comunicar com a vítima e encaminhar ao local a equipe de segurança mais próxima para atender à ocorrência. Existe ainda a possibilidade de interligar diversos postes, criando uma rede de monitoramento integrado.

O poste também pode ser integrado a eventos de varredura, focalizar em pontos específicos ou ronda, facilitando a busca   por evidências.

Pode ser instalado especialmente em locais movimentados como praças, terminais de ônibus, pontos turísticos, escolas, supermercados e estacionamentos.

CAMERA LPR – Outra tecnologia em funcionamento no campus é uma câmera LPR (do inglês license plate recognition, reconhecimento de placas de veículos). Trata-se de um recurso que permite a identificação de uma placa de veículo por meio de um vídeo analítico para carros.

O vídeo analítico é uma tecnologia de inteligência artificial, capaz de analisar imagens a fim de detectar e identificar objetos automaticamente. O funcionamento é através de um algoritmo treinado para reconhecer imagens específicas e movimentos. A identificação é feita com base em um banco de dados com o cadastro de placas de veículos.

RECONHECIMENTO FACIAL - O sistema de reconhecimento facial adota algoritmo de aprendizado, que ajuda a reconhecer o rosto mais rapidamente e de forma mais precisa. Uma câmera na recepção e uma na entrada do prédio ajudam a controlar o acesso de pessoas e monitorar as áreas e o sistema Hikcentral fica responsável pelo controle de pessoas, em áreas como condomínios e edifícios.

ENERGIA LIMPA - No estacionamento do campus está instalada uma cobertura com painéis solares (carport) e que também abriga um ponto de abastecimento para veículos elétricos. O objetivo é demonstrar que espaços com estacionamentos também podem gerar energia enquanto fornecem sombra para os veículos.

O funcionamento é simples. A luz solar que incide sobre os painéis é absorvida e convertida em energia elétrica (corrente contínua).  Essa energia é enviada para os inversores, que transformam a corrente contínua em corrente alternada. O excedente de energia gerada é injetado na rede de distribuição, gerando créditos para o Tecpar na fatura de energia elétrica. 

Últimas Notícias